Tags

Related Posts

Share This

Veja SP: Rudolf Piper: a trajetória da lenda da noite internacional

Matéria original em: http://vejasp.abril.com.br/materia/perfil-designer-rudolf-piper 

Com meio século de experiência em idealizar projetos de boates em vários países, o designer alemão Rudolf Piper, de 68 anos, virou uma lenda da noite internacional e possui um repertório de histórias que rende conversa para muitas madrugadas.

Ele gosta de lembrar, por exemplo, da visita nos loucos anos 80 do rei Juan Carlos e da rainha Sofia, da Espanha, à festa gay do Studio 54 — mítico clube nova-iorquino no qual trabalhou como diretor de promoção. “Quando os seguranças dos monarcas entraram no salão, o pessoal que usava drogas achou que fosse uma batida policial e se livrou de seus pacotinhos com substâncias ilícitas”, conta. “Ao perceber o engano, um monte de gente começou a vasculhar o chão.”

Em outra ocasião, diz ter precisado expulsar de seu clube em Beverly Hills, também nos Estados Unidos, o ator Sylvester Stallone, pois o agente do cantor Rod Stewart, que comemorava seu aniversário, não o queria no pedaço. A relação de conhecidos não para por aí. Piper afirma que já bateu papo com Elizabeth Taylor, serviu de guia para o cantor Mick Jagger, jantou com a ex-coelhinha da PLAYBOY Anna Nicole Smith…

Em 1987, em uma das boates das quais foi dono em Nova York, a Tunnel: instalada dentro de uma estação ferroviária abandonada fazia décadas

Esse globe-trotter da boemia já havia passado várias vezes pelo Brasil. Em 2004, no papel de licenciador da Lotus, uma bombada balada americana, decidiu fixar residência em São Paulo, onde mora até hoje.

Sua especialidade são as filiais de negócios de fora do país voltados aos playboys e patricinhas. “Há um fator limitante no design de espaços desse tipo, pois devo seguir os padrões da marca”, diz. “Mas adapto ao gosto do latino, que não quer ficar escondido em salas vips, mas se mostrar para a plateia.”

Na última terça (7), ocorreu a inauguração de seu mais recente projeto, a Provocateur, no Itaim Bibi. “Ele tem uma visão globalizada, está um passo à frente dos profissionais dessa área”, afirma um dos sócios do negócio, Gutti Camargo, que trabalhou com o alemão em mais de vinte empreitadas.

Filial brasileira da Lotus, em 2006: familiarizado com o gosto dos clientes vips

Nascido em Berlim, Piper sempre curtiu sair à noite. Na adolescência, entrou nesse universo no papel de promoter. Aos 25 anos, conseguiu com a ajuda financeira da família montar um clube próprio, quando ainda cursava faculdade de design. Após a breve vida desse espaço, batizado de Park e projetado por ele, mudou-se para o Rio de Janeiro.

Filho de pai diplomata, já havia passado pelo Brasil na infância, ocasião em que aprendeu o português — que tira de letra nos dias atuais, sem sotaque. Na capital fluminense, atuou como promoter da boate Papagaio Disco Club, do lendário Ricardo Amaral, com quem manteve amizade.

Vaidoso, chegou a ilustrar, na época, campanhas como modelo. Em 1978, resolveu rodar o mundo. Mostrou seu estilo em projetos na Europa e no Japão. Mas o ponto alto do seu currículo se concentra nos Estados Unidos, a começar pela passagem nos anos 70 pelo Studio 54, no auge da disco music.

Piper (o segundo em pé, da esq. para a dir.), no clube Danceteria, com o artista plástico Jean-Michel Basquiat (na foto, fumando), nos anos 80: lá, rolou um dos primeiros shows de Madonna

Piper (o segundo em pé, da esq. para a dir.), no clube Danceteria, com o artista plástico Jean-Michel Basquiat (na foto, fumando), nos anos 80: lá, rolou um dos primeiros shows de Madonna

Depois disso, duas casas das quais foi dono em Nova York marcaram época. Localizada em Manhattan, a Danceteria era frequentada pela nata artística. “Lá, contratei o artista plástico Keith Haring como um mero pintor de paredes e trouxe um dos primeiros shows da Madonna por um cachê de apenas 200 dólares”, diz. “Na mesma época, o U2 pediu 4.000 dólares para tocar e recusei.”

A Tunnel, instalada dentro de uma estação ferroviária abandonada, foi outro empreendimento bacana. Fã de filmes mudos e canções exóticas como ritmos tibetanos, Piper, que se casou duas vezes, mora hoje sozinho na Bela Vista. Nem os cabelos brancos o fizeram perder o fôlego. Garante que sai seis vezes por semana.

Boêmio Experiente

Nome: Rudolf Piper.

Idade: 68 anos.

Natural de: Berlim, Alemanha. Mora em São Paulo desde 2004, na Bela Vista.

Profissão: designer especializado em casas noturnas. Já trabalhou como promoter, empresário e modelo.

Principais projetos: as boates Danceteria e Tunnel, em Nova York, e Lotus,Buddha BarKiss & Fly e Mokaï, em São Paulo.

Hobbies: ouvir música exótica e assistir a filmes mudos.

Revista TRIP: A BATIDA PERFEITA